Keila Abeid | Muito Prazer

O final de semana

Em uma rotina normal fora da pandemia, eu normalmente não teria sábado e domingo. Durante a semana daria muitas aulas, de final de semana sairia pra cantar ou ver algum som, ou também daria aula. O que aconteceu durante o distanciamento, foi que precisei entender o tempo que eu tinha, não porque sobrou tempo, muito pelo contrário, parece que o trabalho em casa foi multiplicado por dois, e a noção do tempo ficou uma bagunça. No começo isso me rendeu bons problemas na coluna, muitos anti inflamatórios (e eu quase não tomo remédio, uma hora falarei sobre isso) e uma exaustão completa. Demorou pro corpo e a cabeça entenderem a nova realidade. Depois que assimilei tudo, achei urgente e necessário rever a organização do tempo. Reduzi os dias das minhas aulas, sim tem dias que trabalho muito mais. Mas por outro lado consegui ganhar um dia pros meus outros projetos que pretendo colocar em prática pós pandemia, e pros meus estudos ( ainda faço pós graduação).

O sábado virou um dia livre, eu descanso mesmo. Se não nada funciona direito depois. Meu jeito de descansar é escrevendo um pouco, fazendo uma limpa em coisas que tenho e liberando espaço (isso acalma minha mente) caminho com minha cachorra e vejo meus filmes e séries.

Consigo fazer essas coisas numa escala bem menor durante a semana agora, mas o dia liberado é o sábado por enquanto. Se precisar comer carboidratos, o final de semana tá aí pra isso. Durante a semana tento ser o mais regrada possível. Isso melhora minha noção de tempo e ajuda a diminuir um pouco a ansiedade desses dias.

comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *