Keila Abeid | Muito Prazer
IMG_9758

Sobre estudos, realizações e Roma

Fim de férias.

Fiquei praticamente um mês distante da vida musical (ou quase isso). Estava viajando e foi minha primeira viagem pra Europa! Entre acertos e apertos, tive muitas experiências incríveis pra compartilhar e pra guardar na memória, mas a que vou contar aqui tem a ver com música e estudos.

Nesta viagem eu não tinha nada musical programado. Não fui pra cantar, apenas passear com a família mesmo. Mas acontece que me chamaram pra cantar em Roma, e achei isso o máximo, pois seria a minha primeira experiência cantando fora do Brasil, e aceitei. Depois, junto com esse convite, veio a oportunidade de gravar com o DJ Italiano, Tommy, o que também foi uma experiência muito legal, pois eu ainda não tinha feito esse tipo de trabalho, que consistiu em compor letra e música pra uma base de sons brasileiros que ele criou.

Todas as oportunidades foram incríveis, mas tinha um porém, em Roma foi a primeira vez na vida que me apresentei toquei piano em público, com trio. Pode não parecer algo muito extraordinário, mas pra mim era. Eu sempre estudei um pouco de piano mas nunca com a intenção de tocar em público, pois nunca me senti apta a isso. O piano pra mim sempre foi um instrumento complementar para me auxiliar no preparo das minhas aulas, nas minhas composições e estudos de canto, mas o principal motivo de eu não me apresentar era insegurança mesmo.

Eu ja estava me programando pra tocar em público, talvez acompanhando um aluno na apresentação da escola, mas a vida prepara umas oportunidades que a gente não pode dizer não. Minha primeira vez foi em Roma, longe da minha terra, com músicos maravilhosos que me convidaram pra esse trabalho, e me acompanhando.

Eu tive medo sim, mas foi muito legal. Ultrapassar essa insegurança faz eu me sentir segura pra realizar outras coisas, inclusive voltar a estudar o piano e começar a tocar mais seriamente. Evoluir mesmo.

Enfim, estou compartilhando isso, pois sei que muitos alunos de canto, também tem medo de se apresentar, de se expor, e a moral da história é que se estudarmos, nos prepararmos pra aquilo que desejamos fazer, a exposição é um passo inevitável pro progresso.

Sempre consciente das nossas limitações, dando pequenos passos, e caminhando pra evolução!

Enfim, foi sim incrível e eu só tenho a agradecer por essa oportunidade, de realizar algo tão desafiador pra mim, em um lugar incrível, com pessoas incríveis!

comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *